skip to Main Content

PABX: (11) 4566-0109

Email: contato@rotger.eng.br

Ou envie sua mensagem no formulário abaixo.

Linha Direta c/ Engenheiro: (11) 9.9943-4544

Praça Prof. Porcino Rodrigues, 18 - Itapecerica da Serra/SP

    Seu Nome(obrigatório)

    Seu Email(obrigatório)

    Seu Telefone (obrigatório)

    Sua Empresa

    Sua Mensagem!

    Inspeção Nr13 em Vaso de Pressão
    Inspeção Nr13 em Vaso de Pressão

    Inspeção NR13 | Laudo Nr13 | Inspeção de Segurança em Vaso de Pressão

     – O que é inspeção NR13 em vasos de pressão?

    A norma regulamentadora NR13 do Ministério do Trabalho e Emprego estabelece requisitos mínimos para gestão da integridade estrutural de caldeiras, vasos de pressão e suas tubulações de interligação nos aspectos relacionados à instalação, inspeção, operação e manutenção, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores.

    Isto significa que toda a empresa que tem vaso de pressão em sua unidade está obrigada a cumprir, no mínimo, o que está estabelecido na NR13. Basicamente a norma NR13 precupa-se em estabelecer um inspeção periódica, ou mais conhecida como inspeção nr13, entre 1 e 5 anos, dependendo da categoria NR-13 do equipamento e do seu estado atual de conservação (Cat. I-1 anos ; Cat. II – 2 anos … Cat. V – 5 anos), afim de avaliar a integridade do equipamento quanto a operação nas pressões de trabalho, isto visa a segurança do trabalhador e das instalações onde o equipamento está instalado. Após esta inspeção em vaso de pressão, será gerado um Laudo Nr13, afim de apresentar os aspectos encontrados.

     

    O que são vasos de pressão sengundo a NR13.

    Vasos de pressão são equipamentos que contêm fluidos sob pressão interna ou externa, diferente da atmosférica. (aplica-se também a vácuo)

    Quais vasos devem sofrer inspeção NR13 periodicamente.

    -vasos de pressão cujo produto P.V seja superior a 8 (oito), onde P é a pressão máxima de operação em kPa e V o seu
    volume interno em m3; (10 bar = 10.000 kpa e 100 litros = 0,1 m3)
    -vasos de pressão que contenham fluido da classe A, (inflamável, combustível, tóxico, nitrogênio, acetileno) , independente das
    dimensões e do produto P.V;
    -recipientes móveis com P.V superior a 8 (oito) ou com fluido da classe A.

    Exclusões:

    -recipientes transportáveis, vasos de pressão destinados ao transporte de produtos, reservatórios portáteis de fluido
    comprimido e extintores de incêndio;
    -vasos de pressão destinados à ocupação humana;
    -vasos de pressão que façam parte integrante de pacote de máquinas de fluido rotativas ou alternativas;
    -tanques e recipientes para armazenamento e estocagem de fluidos não enquadrados em normas e códigos de projeto
    relativos a vasos de pressão;
    -vasos de pressão com diâmetro interno inferior a 150 mm (cento e cinquenta milímetros) para fluidos das classes B,
    C e D;
    -trocadores de calor por placas corrugadas gaxetadas;

    Veja neste artigo como são classificados os vasos de pressão segundo a NR-13.

    Procedimentos realizados em uma inspeção NR13 em vasos de pressão:

    1 – Reconstituição de Prontuário NR13

    (Cálculos baseados na forma construtiva do vaso, tipos de soldas, tipo de tampo entre outros aspectos)

    -Análise dimensional;
    -Cálculo da PMTA (Pressão Máxima de Trabalho Admissível), nas condições atuais, os cálculos são executados de acordo com a análise dimensional e utilizando as formulas presentes na norma americana ASME VIII, que é referencia mundial em se tratando de vasos de pressão;
    -Cálculo de espessura mínima requerida para operar na pressão de trabalho atual, também de acordo com a análise dimensional do vaso de pressão e segundo ASME VIII;

     

    2- Inspeção NR13

    -Verificação do prontuário conforme Norma NR13 Busca-se documento do fabricante, relacionando os materiais empregados, formas construtivas, Pressão máxima de trabalho admitida, espessura nominal e mínima entre outras informações que norteiam o inspetor NR13 em sua inspeção.
    -Busca ao histórico do equipamento, relendo todos os relatórios de inspeção NR-13 anteriores;
    -Análise do Livro Registro de Segurança em busca de mais detalhes da operação do equipamento durante os anos de campanha;
    -Verificação do projeto de instalação; (não mais obrigatório na revisão da NR13 em Setembro de 2017)
    -Inspeção externa, que depende do tipo de vaso e suas caracteristicas;
    -Inspeção interna, que também depende do tipo de vaso e suas características e pode ser substituída, segundo a NR13, por análises detalhadas utilizando-se tecnologias mais avançadas ;
    -Medição de espessura por ultra-som, afim de determinar se existe um processo corrosivo no corpo do vaso de pressão, ou em caso de reconstituição de prontuário N13 determinar a espessura “nominal”;
    -Teste hidrostático, se não comprovado sua execução pelo fabricante;
    -Análise de solda com END, se necessário.

     

    3- Laudo NR13

    -Emissão do Relatório de Inspeção, onde fica claro quais as normas empregadas para a inspeção NR13, além dos dados dimensionais, cálculos para determinar a nova P.M.T.A. do equipamento, recomendações e outros dados;
    -Capacidade atual de suportar determinada pressão (PMTA) baseado na análise da espessura atual e os respectivos cálculos;
    -Relatório fotográfico, afim de ilustrar melhor as recomendações assim como documentar a inspeção NR13;
    -Recomendações necessárias e Plano de Ação, contendo as instruções para atendimento das exigências legais, normativas e técnicas, relatando como deve ser providenciadas;
    -Identificação das Válvulas de segurança assim como a determinação da pressão de abertura;
    -Abertura de “LIVRO DE REGISTRO DE SEGURANÇA”, se necessário
    -Confecção de placa de identificação do vaso de pressão, onde consta diversos dados como as pressões máxima de trabalho, pressões de teste hidrostático e a data da próxima inspeção NR13

     

    4-Resultados:

    Quando o trabalho de inspeção e laudo NR13 e concluído, o cliente obtêm os seguintes resultados:

    -Atendimento integral a norma regulamentadora NR13 do ministério  do trabalho, evitando multas e paralisação de processos na empresa;
    -Garantia ou aumento da confiabilidade operacional do vaso de pressão;
    -Maior segurança para os colaboradores envolvidos na operação da planta;
    -Documentação do histórico do equipamento.

     

    5-Normas utilizadas:

    -NR-13.
    -ASME VII Div. I
    -NBR 14417

    Entre me contato com a ROTGER ENGENHARIA e solicite um orçamento!